MS já tem quatro mortes provocadas pelo influenza em 2018 e mais dois casos estão em investigação, aponta secretaria de Saúde

Duas mortes ocorreram em Campo Grande e duas no interior, em Naviraí e Aquidauana.

Por G1/MS 25/04/2018 - 06:48 hs

MS já tem quatro mortes provocadas pelo influenza em 2018 e mais dois casos estão em investigação, aponta secretaria de Saúde
ato Grosso do Sul já tem quatro mortes confirmadas provocadas pelo vírus influeza, todas pelo tipo H

Mato Grosso do Sul já tem quatro mortes confirmadas provocadas pelo vírus influeza, todas pelo tipo H3N2, e mais dois casos estão sendo investigados, segundo informações da secretaria estadual de Saúde.

A primeira morte confirmada ocorreu em Campo Grande em 17 de março. Uma mulher de 58 anos, que era hipertensa e diabética. Um mês depois, também na capital foi registrada a segunda morte em razão do vírus, a de um homem de 40 anos. Ele também era hipertenso, tinha diabetes e era obeso.

O terceiro caso fatal foi registrado dois dias depois. Uma advogada de 30 anos, de Naviraí, morreu no dia 19 de abril, 15 minutos depois de chegar ao hospital da cidade, após ter buscado auxílio médico outras duas vezes.

A quarta morte também ocorreu no interior do estado. Um homem de 48 anos morreu na manhã desta segunda-feira, 23 de abril, no hospital regional de Aquidauana. Ele deu entrada no hospital com quadro de pneumonia e falta de ar e a situação se agravou.

 

Casos suspeitos

 

De acordo com a secretaria, estão em investigação mais duas mortes que podem ter sido provocadas pelo influenza. A de um idoso de 72 anos, também de Aquidauana e de um bebê, de três meses de idade, que morreu em Campo Grande, nesta segunda.

A família do criança disse que o levou até a Unidade de Pronto Atendimento Comunitário (UPA) Coronel Antonino, por volta das 8h, desta segunda. Com um quadro de febre, em torno dos 37ºC e muita tosse, ele acabou sendo atendimento somente por volta das 11h e acabou morrendo à tarde.

De acordo com a secretaria municipal de Saúde de Campo Grande, o bebê deu entrada por volta das 9h na unidade de saúde, foi triado e em seguida atendido, por volta das 10h30. Estava com febre baixa e então o quadro evoluiu e acabou o levando a morte.

 

Vacinação

 

Começou nesta segunda-feira (23) em Mato Grosso do Sul a campanha nacional de vacinação contra a influenza, que vai até 1º de junho. Entretanto, cada cidade estipulou seu calendário próprio para fazer a imunização. Em municípios como Três Lagoas e Corumbá, a imunização começou ontem, em Campo Grande tem início hoje e em Dourados, amanhã.

Segundo a secretaria estadual de Saúde, o público-alvo da campanha é formado por crianças de seis meses a cinco anos, gestantes, puérperas, professores, profissionais da saúde, indígenas, pessoas com 60 anos ou mais, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, detentos e funcionários do sistema prisional, além de pessoas que têm doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, por exemplo, representa 737,3 mil pessoas. A meta do estado é imunizar pelo menos 90% desse contingente, o equivalente a 663,6 mil pessoas.

Em Campo Grande, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da secretaria de Saúde do município, Mariah Barros, explicou que a opção foi começar hoje porque nesta segunda-feira foi feito o abastecimento das unidades de saúde e assim se correu um risco menor de perda da vacina.

Na capital, mais de 197 mil pessoas estão no grupo de risco e podem ser imunizadas. O município não fará escalonamento para a vacinação que foi aberta para todos do público-alvo de uma vez. Para atender a demanda, haverá plantões especiais em quatro centros regionais de saúde aos domingos: Coophavila II, Nova Bahia, Aero Rancho e Tiradentes, e um posto móvel será montado por três semanas na praça Ary Coelho, no centro da cidade.