Chefe de segurança da Assembleia Legislativa é executado a tiros de fuzil na Capital

Por Midiamax 11/06/2018 - 13:44 hs

O chefe da segurança da Assembleia Legislativa de Campo Grande, o 1º sargento Ilson Martins Figueiredo, foi executado a tiros de fuzil e metralhadora na manhã desta segunda-feira (11), na Avenida Guaicurus, na Capital.

Ele estava conduzindo um Kia Sportage quando foi surpreendido e seu carro alvejado por diversos tiros de arma de grosso calibre, entre elas, um fuzil. Aproximadamente 18 cápsulas foram recolhidas pela perícia no local.

Depois de ser atingido, o veículo que ele dirigia bateu contra o muro de uma casa.

A porta do motorista tem várias marcas, como também a do passageiro. Não há informações se havia alguém com a vítima no momento do atentado.

De acordo com a 6º Companhia da Polícia Militar, um veículo Fiat Toro, foi incendiado nas imediações e teria ligação com o assassinato de Ilson.

Histórico
Ilson entrou para a PM em 1975 e se aposentou em 1997. Em março de 2015 foi contratado pela Assembleia Legislativa.

A ação

Os atiradores que executaram o chefe da segurança usaram uma metralhadora e um fuzil AK-47 no crime. Encapuzados, vestindo preto e com coletes à prova de balas, os pistoleiros começaram a atirar contra o carro do policial aposentado uma quadra antes do local onde o carro parou.

A ação assustou quem passava pela Avenida Guaicurus por volta das 6h30 desta segunda-feira (11). Muitos acharam que se tratava de um acidente de trânsito, quando viram o carro batido contra o muro. Ao tentar parar e ajudar, um motorista quase teve seu carro alvejado pelo trio que assassinou Ilson.

Uma testemunha que presenciou toda a ação dos pistoleiros disse ao Jornal Midiamax que o Kia Sportage conduzido por Ilson Martins vinha pela Avenida Guaicurus e, no mesmo sentido, vinha um Fiat Toro com três ocupantes.

Uma quadra antes de onde o carro colidiu contra um muro, os pistoleiros já vinham perseguindo e atirando contra o carro do chefe da segurança da Assembleia Legislativa.  Quando Ilson perdeu o controle e bateu, os atiradores desceram encapuzados e abriram fogo contra o carro.

De acordo com a testemunha, um deles ainda tentou abrir a porta do carro e, como não conseguiu, passaram a desferir vários tiros contra o veículo de Ilson, que morreu no local.

Um motorista que vinha na mão contrária, pensando ser um acidente, tentou parar, mas quase teve o carro alvejado pelos pistoleiros que fugiram em seguida.

Nas imediações na Rua Piracanjuba o carro usado na execução de Ilson Martins Figueiredo, um Fiat Toro, foi encontrado incendiado. Os autores ainda não foram localizados pela polícia.