Presa por matar e congelar corpo confessou crime e pagou energia para freezer não desligar, diz polícia

Cadáver foi encontrado 3 meses depois do crime. Caso foi em Cipolândia, distrito de Aquidauana.

Por G1/MS 06/07/2018 - 07:10 hs

A jovem de 19 anos presa por matar a facadas e esconder o corpo de Wanderley de Souza, 72 anos, em um freezer, confessou o crime à polícia. De acordo com o delegado responsável pela investigação, Eder Oliveira Moraes, a suspeita disse que matou o idoso no dia 30 de março alegando legítima defesa.

O crime foi no distrito de Cipolândia, distante 70 quilômetros da cidade de Aquidauana, e o cadáver só foi encontrado três meses depois.

Conforme o delegado, a jovem contou que queria dar fim ao relacionamento amoroso que mantinha com o idoso, porém, ele não aceitava. Na data do crime, o idoso pegou uma faca para agredí-la e em um momento de distração dele, ela conseguiu pegar a arma e o matou com golpes no pescoço e no peito.

Ela afirmou à polícia que matou o companheiro sozinha, colocou o corpo no freezer e foi para Campo Grande. Desde então, ela retornou apenas uma vez na casa do idoso, onde pegou uma conta de energia elétrica e pagou, para manter o freezer funcionando, e levou um televisor, ventiladores, duas cadeiras e o celular da vítima.

Também para manter o freezer funcionando, a suspeita entrou em contato com a concessionária de energia e pediu que as contas fossem enviadas por e-mail.

Ela disse ainda à polícia que conheceu o idoso na cidade Anastácio, desde os 12 anos era abusada sexualmente por ele, ganhava presentes constantemente e também era bancada financeiramente.

 

O caso

 

O corpo foi encontrado congelado na tarde de domingo (1º). Um vizinho entrou na casa para verificar o imóvel, abriu o freezer e se deparou com o cadáver. A suspeita foi presa quarta-feira (4), em Campo Grande.