Fertel e MPMS renovam convênio e avaliam ampliação de parceria

Fertel e MPMS renovam convênio e avaliam ampliação de parceria

MP na TV e spots sobre o trabalho do Ministério Público continuarão a ser veiculados na TVE Cultura e 104.7 FM Educativa, respectivamente; fundação e procuradoria avaliam novas ações focadas na área ambiental

Por Redação Portal I Tudo 09/08/2018 - 13:40 hs
Foto: Ascom/Fertel
A Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e Televisão Educativa de Mato Grosso do Sul) e a Procuradoria-Geral de Justiça do Estado renovaram nesta quarta-feira (8) convênio de cooperação que visa a estruturação de estúdios do Palácio das Comunicações e a divulgação de informações para a sociedade sobre o trabalho do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Em reunião durante a manhã na sede da PGJ, em Campo Grande, também foi discutida a possibilidade de ampliação do acordo.

O diretor-presidente da Fertel, Bosco Martins, e o procurador-geral de Justiça Paulo Cezar dos Passos celebraram a prorrogação, por mais 12 meses, do termo de cooperação técnica. Pelo dispositivo, a TVE Cultura continuará a veicular semanalmente o programa MP na TV, enquanto a 104.7 FM Educativa transmitirá, duas vezes ao dia, spots que abordam a atuação do MPMS.

Em contrapartida, o Ministério Público repassará à TVE Cultura equipamentos usados na produção de programas –como lâmpadas especiais e placa de captura de vídeo. “São colaborações importantes para a Fertel que, ao mesmo tempo, permitem visibilidade ao trabalho realizado por órgãos como o Ministério Público, um importante guardião da nossa sociedade”, destacou Bosco Martins.

O MP na TV é uma produção do Ministério Público sul-mato-grossense que visa a divulgar para a sociedade trabalhos e o papel de promotores e procuradores em ações como controle social de órgãos públicos e investigações, explicando de forma clara como o órgão pode atuar em favor da comunidade. Os spots de rádio, com duração de dois minutos cada, também têm esse caráter informativo, ajudando assim a conscientizar a população sobre como contar com os promotores e procuradores de Justiça.

“O convênio com a Fertel permite que a população de Mato Grosso do Sul conheça o trabalho do Ministério Público, divulga a atuação dos membros da instituição e o que fazemos em prol do próprio cidadão”, destacou Paulo Passos. “Ele dará mais transparência, uma comunicação mais célere e o esclarecimento do povo do nosso Estado, que é para quem nossa atuação está voltada”.

Ampliação

Durante a reunião, Bosco Martins e Paulo Passos também discutiram a possibilidade de ampliação do acordo de cooperação, por meio de programas focados no trabalho do Ministério Público de Mato Grosso do Sul na área ambiental. Formado por três biomas principais –Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica–, o Estado é foco constante de ações para a preservação de suas riquezas naturais.

“Vamos apresentar um projeto abordando as atividades do MPMS na questão ambiental. O Pantanal, por exemplo, é a maior planície alagada do mundo e tem grande parte de sua área em Mato Grosso do Sul, sendo alvo constante da atuação de promotores e procuradores”, destacou o diretor-presidente da Fertel citando, como outro exemplo, os trabalhos na região de Bonito –importante polo do ecoturismo brasileiro e que, há anos, conta com a atuação do promotor Luciano Loubet.

A intenção é permitir que esse trabalho do MPMS tenha maior visibilidade “já se valendo das tecnologias agregadas ao sistema digital, que começaremos a utilizar em 14 de agosto e nos permitirá alcance a 24 milhões de lares, ou 70 milhões de pessoas, em todo o Mercosul, com alta qualidade de som e imagem”, destacou Bosco.

“Sem dúvida esse convênio vai ser ampliado, por meio de projetos para permitir que a atuação mais moderna do Ministério Público, principalmente com essas tecnologias que vamos usar, sejam desenvolvidas e anunciadas para a população de Mato Grosso do Sul”, complementou Paulo Passos.

Também acompanharam a reunião a procuradora de Justiça Ariadne Cantú, responsável pela Comunicação Social do MPMS, e Danilo Magalhães, procurador jurídico da Fertel.

Por: Ascom/Fertel